Livro ‘Para Todas as Pessoas Resilientes’ por Iandê Albuquerque

Leia online 'Para Todas as Pessoas Resilientes' por Iandê Albuquerque
eu já me machuquei muito pelos outros. mas a única certeza que eu tenho, no fim de tudo, é de que o tamanho dos destroços é igual ao tamanho do amor que precisaremos pra se reconstruir. essa é a parte forte de tudo isso. isso é o que importa. a resiliência. eu amo a minha capacidade de ser resiliente, de resistir a tantas relações que me magoaram, de ressurgir ainda mais forte, de emergir ainda mais intenso, de entrar dentro de mim pra trocar de casca e me vestir de amor‑próprio pra continuar em frente. eu quero dizer pra você que se maltrata. se culpa, duvida da sua capacidade de ser resiliente, de sobreviver às quedas e voltar melhor que antes...
Editora: Outro Planeta; 1ª edição (30 abril 2021)
Idioma: Português
Capa comum: 192 páginas
ISBN-10: 6555352787
ISBN-13: 978-6555352788
Dimensões: 14 x 2 x 21 cm

Leia trecho do livro

Leia online 'Para Todas as Pessoas Resilientes' por Iandê Albuquerque

se tornar alguém maduro e resiliente
vai te custar pessoas, relações, momentos.

mas, apesar de tudo, não desista, escolha você!

Leia online 'Para Todas as Pessoas Resilientes' por Iandê Albuquerque

PARA TODAS AS PESSOAS RESILIENTES.

eu já me machuquei muito pelos outros.
mas a única certeza que eu tenho, no fim de tudo,
é de que o tamanho dos destroços é igual ao tamanho do amor
que precisaremos pra nos reconstruir.
essa é a parte forte de tudo isso.
isso é o que importa.
a resiliência.

e eu amo a minha capacidade de ser resiliente,
de resistir a tantas relações que me magoaram,
de ressurgir ainda mais forte, de emergir ainda mais intenso,
de entrar em mim pra trocar de casca
e me vestir de amor-próprio pra continuar em frente.

eu quero dizer pra você que se maltrata,
se culpa, duvida da sua capacidade de ser resiliente,
de sobreviver às quedas e voltar melhor do que antes.
você que acolhe os outros, mas esquece de si mesmo
e depois se questiona por que a vida tem sido tão dura com você:
comece sendo menos duro consigo mesmo.

saiba respeitar o seu tempo.
pode ser que amanhã as coisas não fiquem cem por cento melhores,
mas amanhã ficará melhor do que hoje,
e o agora talvez já seja melhor do que o ontem.

se curar é um processo.
resiliência é um processo.
resistência é um processo.
e você vai aprender a se refazer.

eu só te peço pra tomar cuidado e continuar sendo resiliente,
porque a vida costuma machucar a gente,
e quando não é a vida, é alguém que machuca.

AOS 17, EU ACHAVA QUE O AMOR MACHUCAVA. AOS 19, EU ACHAVA QUE AMAR MACHUCAVA. AOS 20, EU APRENDI QUE NÃO ERA O AMOR, MUITO MENOS A MANEIRA INTENSA COM QUE EU AMAVA, QUE ME MACHUCAVA. ERA QUEM EU AMAVA. O QUE MACHUCA MESMO SÃO AS PESSOAS OU AS NOSSAS EXPECTATIVAS, NÃO O AMOR.

aos 22, eu precisei cair na real e aceitar de uma vez por todas que o amor por mim precisa valer mais do que o amor que eu sinto por outra pessoa. eu preciso ser a minha prioridade e o meu próprio amor. quando entendi isso, passei a aceitar as pessoas com mais leveza, respeito e afeto. aos 23, eu ressignifiquei o que o amor era pra mim. passei a enxergar o valor da minha intensidade e a importância de me ter do começo ao fim das relações. comecei a entender que às vezes, por mais que a gente queira continuar, não está ao nosso alcance ficar. às vezes o que a gente quer não é o que a gente merece de fato. e a gente precisa fazer escolhas pro nosso próprio bem.

Conteúdo relacionado

Marcações: ,