Livro ‘O Livro de Enoque’ por John Carth

Baixar PDF 'O Livro de Enoque' por John Carth
O livro de Enoque foi rejeitado pela Igreja Católica Apostólica Romana e considerado como Apócrifo e isso é fácil de entender devido a complexidade das coisas que ele relata e o pavor e estranheza que deve ter provocado nos cristão católicos já afastados da convivência com os apóstolos. Todavia, ainda que expurgado do uso católico, é no livro de Enoque que encontra-se a narrativa sobre o mundo angelical e a relação entre homens e anjos escrito em tom profético. Somente a leitura atenta nos dias de hoje pode fazer com que vejamos a beleza e o valor de um livro que se aproxima muito do estilo de narrativa de Daniel e João Evangelista quando escreve em Patmos. Andou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, trezentos anos...
Editora: Clube de Autores (14 setembro 2020)  Páginas: 246 páginas  ISBN-10: 6599231985  ISBN-13: 978-6599231988  ASIN: B08DXPV4R9

Clique na imagem para ler o livro

Sobre o autor: John Land Carth que é Mestre em Ciências da Educação; Bacharel em Artes Plásticas, Licenciado em Artes Visuais; Especialista em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas. É Escritor independente; Técnico em Assuntos Educacionais no Ministério da Educação e Professor. Também Mestre Arcanos na Ordem Espiritualista Cristã, sendo Cavaleiro da Ordem do Ministro Aluarã há 30 anos. Seu exercício literário é de caráter holístico, eclético envolvendo temas variados que vai da educação (pedagogia), onde podemos encontrar os Livros Desafios da Pedagogia Contemporânea e Escola de Esparta, Escola de Atenas e Escola Brasileira; temas de interesse social e políticos assim como os Estudos Culturais e multiculturalismo. Seu primeiro romance foi o livro Amor, Escravidão e Morte. Estuda assuntos místicos-religiosos de interesse Espírita, Espiritualista, Cristão e Esoterísmo. A autodefinição é de ser um Livre-Pensador desapegado da rigidez de pensamento e de uma única visão de mundo.

Leia trecho do livro

O Livro de Enoque

O Etíope

2013

Apresentação¹

Enoque é um personagem bíblico que gera controvérsias sobre sua importância e origem, é citado no Antigo Testamento, no livro de Gênesis como o filho de Caim; mas outras passagens o situam como filho de Jarede, este seria um segundo Enoque, citado em Gênesis 5:18 “E viveu Jarede cento e sessenta e dois anos e gerou a Enoque.”, este Enoque seria da geração de Sete.


¹ O livro de Enoch é um texto apócrifo que é mencionado por algumas cartas do Novo Testamento (Judas, Hebreus e 2ª de Pedro). Até a elaboração da Vulgata, por volta do ano 400, os primeiros seguidores de Cristo o mencionavam abertamente em seus textos e o aceitavam como real. Após a Vulgata ele caiu no esquecimento. Entretanto, o livro é muito interessante e parece real. O livro de Enoch foi preservado somente em uma cópia, na totalidade, em etíope e, por esta razão, também é chamado de Enoch etíope.

Enoque filho de Caim gerou a Irade, e Enoque filho de Jarede gerou Metusalém. É do pai de Matusalém que tratam os escritos deste livro.

O livro de Enoque foi rejeitado pela Igreja Católica Apostólica Romana e considerado como Apócrifo e isso é fácil de entender devido a complexidade das coisas que ele relata e o pavor e estranheza que deve ter provocado nos cristão católicos já afastados da convivência com os apóstolos.

Todavia, ainda que expurgado do uso católico, é no livro de Enoque que encontra-se a narrativa sobre o mundo angelical e a relação entre homens e anjos escrito em tom profético. Somente a leitura atenta nos dias de hoje pode fazer com que vejamos a beleza e o valor de um livro que se aproxima muito do estilo de narrativa de Daniel e João Evangelista quando escreve em Patmos.

“Andou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, trezentos anos; e gerou filhos e filhas”.
Gênesis 5:22

“Todos os dias de Enoque foram trezentos e sessenta e cinco anos”
Gênesis 5:23

“Enoque andou com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus o tomou.”
Gênesis 5:24″


“Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte; e não foi achado, porque Deus o trasladara; pois antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus.”
Hebreus 11:5

“Para estes também profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que veio o Senhor com os seus milhares de santos”
Judas 1:14

Capítulo 1

1 As palavras das bênçãos de Enoque, com as quais ele abençoou os eleitos e os justos, os quais devem existir nos tempos da tribulação, rejeitando toda iniquidade e mundanismo. Enoque, um homem justo, o qual estava com Deus, respondeu e falou com Deus enquanto seus olhos estavam abertos, e enquanto via uma santa visão dos céus.

Isto os anjos me mostraram.
2 Deles eu ouvi todas as coisas e entendi o que vi; coisas que não terão lugar nesta geração, mas numa geração que deve acontecer num tempo distante, por causa dos eleitos.

3 A respeito deles eu falei e conversei com Ele, o qual virá de Sua habitação, o Santo e Poderoso, o Deus do mundo:

4 O qual pisará sobre o Monte Sinai; aparecerá com Suas hostes e se manifestará com a força do Seu poder dos céus.

5 Todos estarão temerosos e as Sentinelas estarão aterrorizados.

6 Grande temor e tremor se apoderarão deles, mesmo aos confins da terra. As alturas das montanhas serão abaladas, e os altos montes serão abatidos, derretidos como o favo de mel na chama de fogo. A terra será imersa e todas as coisas que nela estão perecerão; enquanto julgamento virá sobre todos, mesmo sobre todos os justos:

7 Mas a eles será dada paz: Ele preservará os eleitos e para com eles exercitará clemência.

8 Então todos pertencerão a Deus, serão felizes e abençoados, e o esplendor da Divindade os iluminará.

Capítulo 2

1 Eis que Ele vem com dezenas de milhares dos Seus santos para executar julgamento sobre os pecadores e destruir o iníquo, e reprovar toda coisa carnal e toda coisa pecaminosa e mundana que foi feita, e cometida contra Ele.

Capítulo 3

1 Todos os que estão nos céus sabem o que transcorre lá.

2 Eles sabem que as luminárias celestes não mudam seus caminhos; que cada uma nasce e se põe regularmente, cada uma a seu próprio tempo, sem transgredir os mandamentos que receberam. A visão da Terra, e entendem o que deve acontecer, desde o princípio até o seu fim.

3 Eles veem que toda obra de Deus é invariável no período de seu aparecimento. Eles veem o verão e o inverno: percebendo que toda terra está repleta de água; e que a nuvem, o orvalho, e a chuva refrescam-na.

Capítulo 4

1 Eles consideram e veem cada árvore, como aparecem para depois murchar, e toda folha, para depois cair, exceto de quatorze árvores, as quais não são efêmeras, e esperam pelo aparecimento das folhas novas por dois ou três invernos.

Capítulo 5

1 Novamente eles consideram os dias de verão, que o sol está sobre a terra desde o princípio; enquanto tu procuras por uma cobertura e por um lugar sombreado por causa do sol ardente; enquanto a terra é queimada com calor fervente, e tu te tornas incapaz de andar sobre a terra ou sobre as rochas em consequência do calor.

Capítulo 6

1 Eles consideram como as árvores, quando elas dão suas folhas verdes, cobrem-se e produzem frutos; entendendo tudo, e sabendo que Ele, o qual vive para sempre, faz todas estas coisas por causa de vós:

2 Que as obras desde o princípio de todo ano existente, que todas as suas obras são obedientes a Ele e invariáveis; assim como Deus determinou, assim todas as coisas acontecem.

3 Eles veem também como os mares e os rios juntos completam suas respectivas operações:

4 Mas tu resistes impacientemente, não cumpres os mandamentos do Senhor, mas transgrides e calunias a Sua grandiosidade; e malditas são as palavras em tua boca poluída contra Sua majestade.

5 Tu, murcho de coração, a paz não estará contigo!

6 Portanto teus dias te amaldiçoarão, e os anos de tua vida perecerão; execração perpétua se multiplicará, e não obterás misericórdia.

7 Nestes dias tu resignas tua paz com a eterna maldição de todos os justos, e os pecadores perpetuamente te execrarão;

8 Eles te execrarão com tudo o que não é divino.

9 Os eleitos possuirão luz, alegria e paz; e herdarão a terra. 10 Mas tu, que não és santo, serás amaldiçoado.

11 Então a sabedoria será dada aos eleitos, todos os que viverão, e não transgredirão por impiedade ou orgulho, mas humilhar-se-ão, processando prudência, e não repetirão transgressão.

12 Eles não condenarão todo o período das suas vidas, não morrerão em tormento e indignação; mas a soma dos seus dias se completará, e envelhecerão em paz; enquanto os anos de sua felicidade se multiplicarão em alegria, e com paz, para sempre, em toda a duração de sua existência.

Capítulo 7

1 E aconteceu depois que os filhos dos homens se multiplicaram naqueles dias, nasceram-lhe filhas, elegantes e belas.

2 E quando os anjos, os filhos dos céus, viram nas, enamoraram-se delas, dizendo uns para os outros: Vinde, selecionemos para nós mesmos esposas da progênie dos homens, e geremos filhos.

3 Então seu líder Samyaza disse-lhes: Eu temo que talvez possais indispor-vos na realização deste empreendimento;

4 E que só eu sofrerei por tão grave crime.

5 Mas eles responderam-lhe e disseram: Nós todos juramos;

6 (e amarraram-se por mútuos juramentos), que nós não mudaremos nossa intenção mas executamos nosso empreendimento projetado.

7 Então eles juraram todos juntos, e todos se amarraram (ou uniram) por mútuo juramento. Todo seu número era duzentos, os quais descendiam de Ardis4, o qual é o topo do monte Armon.

8 Aquele monte portanto foi chamado Armon, porque eles tinham jurado sobre ele5, e amarraram se por mútuo juramento.

9 Estes são os nomes de seus chefes: Samyaza, que era o seu líder, Urakabarameel, Akibeel, Tamiel, Ramuel, Danel, Azkeel, Saraknyal, Asael, Armers, Batraal, Anane, Zavebe, Samsaveel, Ertael, Turel, Yomyael, Arazyal. Estes eram os prefeitos dos duzentos anjos, e os restantes estavam todos com eles.

10 Então eles tomaram esposas, cada um escolhendo por si mesmo; as quais eles começaram a abordar, e com as quais eles coabitaram, ensinando-lhes sortilégios, encantamentos,e a divisão de raízes e árvores.

11 E as mulheres conceberam e geraram gigantes,

12 Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e tornou-se impossível alimentá-los;

13 Então eles voltaram-se contra os homens, a fim de devorá-los;

14 E começaram a ferir pássaros, animais, répteis e peixes, para comer sua carne, um depois do outro, e para beber seu sangue. 15 Então a terra reprovou os injustos.

Capítulo 8

1 Além disso, Azazyel ensinou os homens a fazerem espadas, facas, escudos, armaduras (ou peitorais), a fabricação de espelhos e a manufatura de braceletes e ornamentos, o uso de pinturas, o embelezamento das sobrancelhas, o uso de todo tipo selecionado de pedras valiosas, e toda sorte de corantes, para que o mundo fosse alterado.

2 A impiedade foi aumentada, a fornicação multiplicada; e eles transgrediram e corromperam todos os seus caminhos.

3 Amazarak ensinou todos os sortilégios, e divisores de raízes:

4 Armers ensinou a solução de sortilégios;

5 Barkayal ensinou os observadores das estrelas,

6 Akibeel ensinou sinais; 7 Tamiel ensinou astronomia;

8 E Asaradel ensinou o movimento da lua,

9 E os homens, sendo destruídos, clamaram, e suas vozes romperam os céus.

Livro 'O Livro de Enoque' por John Carth

Por: ,